Domingo, 28 Maio 2017

Mesmo em tempos de crise, investimento em imóveis pode ser rentável

Durante este ano de incertezas políticas e econômicas, muito tem se falado sobre o investimento em imóveis como um passo negativo para este período. Diversas notícias veiculadas e diversos especialistas se mostram contra a aquisição e venda de imóveis por conta de uma possível desvalorização.
 
 
Mas, ao analisar com mais frieza e fazendo uma análise mais profunda, é possível ver que investir em um novo apartamento ou casa, pode ser muito mais lucrativo a longo prazo, se esta aquisição for feita neste período.
 
Segundo o advogado especialista em Direito Imobiliário, Paulo Akiyama, dependendo do motivo pelo qual a pessoa quer investir, seja em imóvel na planta ou não, o momento pode ser o mais adequado pensando em demanda de oferta e procura e preços baixos. "No atual momento não há diferença para aqueles que pretendem mudar de posição, ou seja, vender um imóvel para adquirir outro, pois venderá seu imóvel na baixa e comprará também na baixa. Assim como para quem possui recursos e deseja comprar imóveis para imobilizar parte de seu capital, o momento também é propicio pois, com o mercado em baixa, o poder de barganha é bom, podendo realizar bons negócios", declara.
 
Mas, segundo o advogado explica, para quem deseja apenas vender o imóvel, esta não é a hora ideal. "Quem deseja apenas vender, precisa ficar atento, este não é um momento bom. É uma decisão muito difícil de ser tomada, porém, casos isolados devem ser analisados com profundidade para que não sejam um desperdício de bens e dinheiro. Por exemplo, se a pessoa for possuidora de uma dívida grande e a venda do imóvel resolver este problema, certamente, a perda que terá com a venda será menor do que a perda que tem com os juros que está pagando", afirma.
 
Por fim, o especialista deixa algumas dicas para quem realmente pretende fazer um investimento imobiliário. "Busque informações cadastrais da construtora, isto é muito importante em razão da solidez da estrutura financeira de quem está construindo para, também, garantir a cobertura por responsabilidade técnica de eventuais problemas de construção. Leia atentamente o memorial descritivo, ou seja, o que prometem entregar ao comprador, em especial o tipo de cabeamento elétrico, hidráulica, pintura, pisos, louças sanitárias, etc. E por último, analise com cautela a documentação e contrato, evitando possíveis problemas futuros com a construtora", finaliza.
 
Paulo Eduardo Akiyama é formado em economia e em direito 1984. É palestrante, autor de artigos, sócio do escritório Akiyama Advogados Associados, atua com ênfase no direito empresarial e direito imobiliário. 
 

Entretenimento Noticias Cultura

Newsletter

Receba nossa Newsletter