Sábado, 16 Dezembro 2017 | Login
DAVID GILMOUR (Foto:Kevin Westenbergr) DAVID GILMOUR (Foto:Kevin Westenbergr)

DAVID GILMOUR - Shine On You Crazy Diamond, Pink Floyd

 
 
David Gilmour – Biografia
 
David Jon Gilmour nasceu em Cambridge, Inglaterra e cresceu em Grantchester Meadows. Aos 13 anos ganhou seu primeiro violão e foi então que tudo começou.
Gilmour comecou a tocar em 1963 no seu primeiro grupo, Joker’s Wild. A banda mudou seu nome para Flowers em 1967 e acabou se dissolvendo no mesmo ano, quando Gilmour formou os Bullitt.
A história de Gilmour com o Floyd começa em 1968, quando foi convidado a integrar uma banda do antigo amigo de infância do Colégio de Artes e Tecnologia de Cambridge, Roger Keith ‘SYD’ Barrett. Esta banda era o Pink Floyd (formado na época por Syd, Roger Waters, Richard “Rick” Wright e Nicholas “Nick” Mason). O grupo fez quatro ou cinco shows com os cinco integrantes, mas logo depois, Syd, que infelizmente já apresentava sinais de grave desordem mental, foi forçado a se afastar do Floyd.
PINK FLOYD – O primeiro disco do Pink Floyd já tendo Gilmour como guitarrista foi A saucerful Of Secrets de 1968. E o primeiro crédito de David por autoria na banda foi pela faixa instrumental que deu nome ao disco.  O prestígio da banda cresceu nos anos seguintes com os discos Ummagumma, Atom Heart Mother e Meddle, além das trilhas sonoras para dois filmes, More e Obscured By Clouds. O comando da banda havia sido assumido aos poucos com maestria por David Gilmour, que passou a dividir com Roger Waters a responsabilidade de compor as músicas da banda.
Em 1973 gravam o lendário The Dark Side Of The Moon, um dos álbuns mais bem sucedidos da história, que viria a permanecer mais de 20 anos entre os mais vendidos do planeta. Com este disco o Pink Floyd prova definitivamente que não dependia apenas do gênio de Syd Barrett e supera em todos os aspectos a obra prima que foi o primeiro disco. A EMI chegou a construir fábricas para poder dar vazão à demanda pelo álbum, que marcou uma fase de trabalho de conjunto e de extrema harmonia entre os membros da banda.
Segue-se Wish You Were Here, um trabalho conceitual e um verdadeiro tributo a Syd Barret. O tema da ausência é o pretexto para indiretamente homenagear e analisar o gênio louco. Curiosamente durante as gravações deste disco Syd Barret compareceu ao estúdio, gordo, sujo e careca, com uma imagem tão degenerada que custou a ser reconhecido pelos companheiros.
Animals, de 1977, inaugura a fase de protesto político-social da banda e também marca o início de um predomínio de Roger Waters sobre os outros músicos. O disco é baseado na peça teatral “A Revolução dos Bichos” de George Orwell e retrata as contradições e injustiças da sociedade capitalista.
Durante as gravações de The Wall surgem os primeiros atritos entre os membros, com Roger Waters tomando para si o controle da banda. The Wall era um tratado sobre a solidão e sobre o poder esmagador do sucesso, mas era antes de tudo uma autobiografia do que Roger Waters supunha ser. A obra, logo tachada de ópera-rock, seria lançada também em forma de filme.
Com o álbum The Final Cut agravam-se os problemas de relacionamento entre os membros, com Roger Waters tendo despedido Rick Wright e relegado os outros componentes da banda a pouco mais do que músicos de estúdio. Waters compôs o conceito e praticamente a totalidade das músicas, além de ter sido o responsável por todos os vocais. O álbum na realidade deveria ser um trabalho solo, mas a gravadora achou que seria mais lucrativo lança-lo como trabalho da banda.
Brigas entre os componentes restantes levaram Roger Waters a deixar o grupo em 1985 assumindo que sem ele, o Pink Floyd se desmembraria. Em vez disso, David Gilmour assumiu por completo o controle da banda e criou outra obra-prima,  A Momentary Lapse Of Reason.
Em 1994, em um clima de volta triunfal, após alguns anos sem gravar e sem se apresentar ao vivo, a banda volta com The Divison Bell, disco que teve excelente aceitação por parte da crítica e do público. Pouco mais tarde, em 1995 é lançado Pulse, uma outra gravação ao vivo.
Em 1996, Gilmour foi entronizado no Hall da Fama do Rock and Roll com o Pink Floyd.
CARREIRA SOLO – Durante os intervalos musicais do Pink Floyd, Gilmour passava o tempo tocando como músico de estúdio, produzindo discos e até fazendo às vezes como engenheiro de som de palco para uma enorme variedade de espetáculos,  como Roy Harper, Kate Bush, The Dream Academy, Grace Jones, Arcadia, Bryan Ferry, Robert Wyatt, Hawkwind, Paul McCartney, Ringo Starr, Sam Brown, Jools Holland, Propaganda, Pete Townshend, The Who, Supertramp (juntos criaram o êxito “Brother where you bound” do álbum com o mesmo nome), vários “supergrupos” de solidariedade e muito mais.
 
Gilmour lançou seu primeiro álbum, na Primavera de 1978, simplesmente chamado de David Gilmour. O seu segundo álbum, About face, foi editado em 1984.
Em 2002, Gilmour fez uma série de concertos acústicos em Londres e Paris, juntamente com Rick Wright (tecladista do Pink Floyd) e uma pequena banda e coro, que foi documentado na edição de David Gilmour in Concert.
Em 2006, lançou mais um trabalho solo, On An Island, considerado por ele seu melhor em 30 anos. O álbum contou com um elenco de nomes de ouro na música, os quais já conhecidos pela maioria dos fãs de Gilmour como Guy Pratt, Jon Carin e Richard Wright , além das participações de David Crosby e Graham Nash, e a co-produção do guitarrista Phil Manzanera.
No ano de 2008, Gilmour lançou o DVD Duplo Remember That Night – Live at the Royal Albert Hall que sintetizou os grandes shows deste seu  último trabalho. No segundo semestre do mesmo ano, David lançou o álbum Live In Gdànsk, gravado na Polônia no ano de 2006, em comemoração aos 26 anos do partido Solidariedade. Assim como em Remember That Night, este disco traz raridades e clássicos do Pink Floyd, além de seus recentes trabalhos.
Em outubro de 2010, foi anunciado o lançamento do álbum Metallic Spheres, da banda de música eletrônica The Orb, com a colaboração de David. O trabalho contém músicas inacabadas de Gilmour remixadas pelo The Orb em um novo formato de áudio tridimensional.
Em julho de 2015, David Gilmour, divulgou o novo single, “Rattle That Lock”. A música contou com a participação do guitarrista da banda Roxy Music, o pianista Jools Holland e a mulher de Gilmour, Polly Sampson, que escreveu parte da letra. O álbum homônimo foi lançado mundialmente no dia 18 de setembro de 2015.
 
 
David Gilmour in Concert at Royal Festival Hall Concert 2002
 

 


Mídia

Shine On You Crazy Diamond, Pink Floyd - David Gilmour

Itens relacionados (por tag)

  • Teatro do SESI-SP tem programação especial de Natal em dezembro
    De 6 a 17 de dezembro, o complexo oferece 12 espetáculos de música, teatro e dança gratuitos. Dentre os destaques estão shows de Yamandu Costa, Ópera Portátil, Voz Ativa Madrigal e apresentações das Companhias Ser em Cena, Druw, Raça Cia de Dança
     
     
    Além de toda a rotina de exposições, oficinas e workshops em cartaz no Centro Cultural Fiesp no período de férias, o complexo prepara uma intensa programação com temática natalina para receber o público no último mês do ano.
    Confira abaixo as doze atrações gratuitas que entram em cartaz a partir do dia 6. Maior plataforma de arte digital a céu aberto da América Latina, a Galeria de Arte Digital, localizada na fachada do prédio, também exibirá uma animação especial de Natal, partir de 11 de dezembro, das 20h às 6h.
     
     
    TEATRO / DANÇA
     
    Hotel dos Monstros – 6 de dezembro (quarta), 17h
    Inspirado no filme infantil Hotel Transilvânia (2012), o enredo do musical produzido pelos alunos do SESI Indaiatuba conta a história de um resort cinco estrelas feito exclusivamente para os monstros de todos os tipos. A trama gira em torno dos preparativos para o aniversário da filha do dono do resort, o conde Drácula, e a chegada de um humano que se apaixona por ela.
     
    Musical | Infantojuvenil | 60 min. | Produção: CAT Antonio Ermírio de Moraes – Indaiatuba | Diretor de Centro de Atividades: André Luís Martins da Silva | Coordenador de Qualidade de Vida: Alexandre Demarchi Bellan | Orientadores: Alessandro P. Neves e Sheila M. P. Moraes | Direção Artística e Cênica: Kátia Müller e Karyn Nascimento | Equipe de Apoio: Professores CQV 20 | Confecção de fi gurinos: Zenaide Baroni e Rose Jaquetti | Cenografi a e adereços: Marcelo Rosa, Toni e alunos | Gravação: DJ Carlinhos – CR Som.
     
    SESI Itu em... Que Monstro Te Mordeu? – 6 de dezembro (quarta), 14h
    Baseada na série de TV infantil Que Monstro Te Mordeu? (TV Cultura), a adaptação discute temas como trabalho infantil, primeiro amor e adolescência. Ao longo da trama, os personagens já conhecidos das crianças, Lali e Dr. Z, vividos pelos alunos do SESI Itu, conduzem uma crítica ao ideal de beleza e exaltam a importância da autenticidade no desenvolvimento das crianças. Tudo isso com direito a muita música e dança.
     
    Dança/Jazz | Infantojuvenil | 60 min. | Produção: CAT Itu - Carlos Eduardo Moreira Ferreira | Diretor de Centro de Atividades: Alexandra Salomão Miamoto | Coordenador de Qualidade de Vida: Eloy Rizzatti | Orientadora: Keila de Campos | Direção Artística e Cênica: Luisa Andreazza | Equipe de Apoio: Professores CQV 23 | Confecção de figurinos: Maria Aparecida Giacomello Barea | Cenografia e adereços: Valdy Lopes | Gravação: Luisa Andreazza.
     
    Encantos – 8 de dezembro (sexta), 20h
    No início aprendendo por meio do toque, depois incluindo a graciosidade, as 18 bailarinas e bailarinos da Associação Ballet de Cegos Fernanda Bianchini são reconhecidas mundialmente por encantar as plateias dos países por onde já passaram, como Londres, Argentina, Alemanha, Estados Unidos e Polônia. O transbordar de imaginação é o elemento principal da desta apresentação
     
    Adulto | 60 min. | Direção Geral: Fernanda Bianchinni Saad | Direção Artística: Cesar Albuquerque | Bailarinos: Anna Davis, Aldenice Moreira, Aldenir Moreira, Anderson Lara, Bruno Antunes, Carlos Eduardo, Cintia Sousa, Everton Caetano, Fabiana Croccia, Geyza Pereira, Giseles Dantas, Gisele Camillo, Guilherme Pivetti, Jessica Lacerda, Mariane Miura, Marina Alonso, Veronica Batista, Vinicius Longuinho / Produção: Elaine de Lutiis, Francisca Moreira, Eliana Ardito.
     
    Do Outro Lado do Oceano – 10 de dezembro (domingo), 19h
    Com direção de Elisa Band, a nova peça do grupo Ser em Cena é uma metáfora para a condição dos atores. Em cena, 65 portadores de afasia, um distúrbio de comunicação, que despertam reflexões sobre a necessidade de criar novas linguagens, quando as palavras se mostram insuficientes. Na história, personagens de diferentes tempos se cruzam e se misturam, em meio a descobertas de constelações, criaturas marinhas raras, cartas náuticas, histórias de amor, um pássaro na escotilha e uma passagem pelo Trópico de Capricórnio.
     
    Comédia poética-dramática | Adulto | 80 min. | Direção: Elisa Band | Co-Direção: Nichloas Wahba | Dramaturgia: Elisa Band e Nicholas Wahba | Iluminação: Celso Carramenha | Confecção de objetos de cena: Fabio Souza | Trilha Sonora: Elisa Band, Nicholas Wahba e Peri Pane | Participação especial: Luiz Bueno | Projeção e legendas: Gabriel Godoy | Produção executiva: Claudia Niemeyer e Cássia Navarro | Produção: Evelyn Eduardo | Consultoria de figurinos: Marina Reis | Fonoaudiologia: Fernanda Papaterra , Guilherme Zaramella e Ruth Bicudo | Psicologia: Liliana Wahba e Fátima Monteiro | Assistentes de palco: Bruno Niermeyer, Cayo Eduardo Barreto, Dandara Lima, Evelyn Eduardo | Comunicação: Michele Aied | Elenco: Cia Ser em Cena.
     
    À Flor da Pele e Novos Ventos – 14 de dezembro (quinta), 20h
    Referência no jazz e na dança contemporânea, o grupo paulistano Raça Cia de Dança traz ao palco do Teatro do Sesi-SP dois espetáculos dicotômicos de seu premiado repertório. O primeiro, À Flor da Pele (2016), tem coreografia do diretor artístico da companhia, Jhean Allex, e fala sobre as relações desgastadas dos indivíduos que estão sempre à flor da pele. Já a segunda dança, Novos Ventos (1999), é assinada por Roseli Rodrigues, fundadora da companhia, e tem um clima outonal, em que s bailarinos desenham suas performances em meio a nostalgia, ao romantismo, às folhas caídas, ao vento e à chuva.
     
    Drama | 80 min. | Diretor Geral: Renan Rodrigues | Diretora Executiva: Cristina Morales | Diretor Artístico e coreógrafo: Jhean Allex | Diretor Técnico: Marcel Rodrigues | Produtor: Hamilton Feltrin | Assistente De Produção: Hygor Furquim | Elenco: Alessandra Helena, Alex Siqueira, Angélica Bueno, Gentil Neto, Isadora Miragaia, Jaqueline Vieira, João Vitor Palma, Juliana Olguim, Luiz Henrique Prestes, Maria Cristina Braga, Matheus de Oliveira, Natália Rodrigues, Nicole Molina, Rodrigo Cucorocio, Valfred Pereira Souza.
     
    Vila Tarsila – 16 de dezembro (sábado), 17h
    Inspirada nas obras e na infância da artista Tarsila do Amaral, o espetáculo infantojuvenil da Cia Druw transporta a plateia ao mundo antropofágico da artista. Valorizando o aspecto lúdico, a coreografia se mescla com os elementos visuais extraídos de telas como A Cuca, Operários, Sol Poente, A Lua, Manacá, O Sapo, O Touro e São Paulo. Ambientada na década de 1920, o espetáculo reflete a visão de Tarsila como uma criança viajante e o quanto suas obras transitavam dentro de suas experiências.
     
    Infantojuvenil | 50 min. | Direção geral e artística: Miriam Druwe | Concepção: Cristiane Paoli Quito, Miriam Druwe | Cenário e fi gurino: Marco Lima | Desenho de luz – Marisa Bentivegna | Trilha sonora: Natália Mallo | Adaptação e operação de luz: Marcel Gilber | Elenco: Adriana Guidotte, Anderson Gouveia, Elizandro Carneiro, Létícia Rossi, Manuela Fadul, Orlando Dantas, Miriam Druwe.
     
    MÚSICA
     
    Voz Ativa Madrigal – 7 de dezembro (quinta), 20h
    O concerto Cantos do Mundo, do coral Voz Ativa Madrigal, explora o universo das músicas sacras, natalinas e do gênero Negro Spiritual – música que surgiu com os escravos norteamericanos, fruto da mistura entre as canções de trabalho e as batidas típicas africanas). Composições nacionais, como Cantodos Sinos, e internacionais, como Down by the Riverside, ganham destaque sob a batuta da maestrina Regiane Martinez.
     
    Além da época natalina, o conjunto celebra a Virada Inclusiva, que é realizada em dezembro, dando visibilidade ao trabalho do cantor cego que integrará a formação do grupo no concerto.
     
    Erudito | 60 min. | Voz: Denize Meire, Tamara Caetano, Rita Tomé, Regina Rocha, Aldilei Clemente, Gustavo Carvalho, Fernando Ribeiro e Fabio Carvalho | Piano: Delphim Rezende Porto | Regência: Regiane Martinez.
     
    Ópera Portátil – 9 de dezembro (sábado), 20h
    O espetáculo Natal do Ópera Portátil traz a performance musical das óperas para dentro das peças tradicionais.Com uma interpretação que aposta na comicidade, o conjunto formado em 2005 faz releituras de canções natalinas que caíram no gosto popular, como Noite de Paz e Tocam osSinos.
     
    Erudito | 60 min. | Soprano: Edna De Oliveira | Mezzo-soprano: Eleni Arruda | Tenor: Alexandre Bialecki | Baixo: Paulo Menegon | Direção musical e piano: Wesley Lacerda | Direção de cena: Pablo Moreira.
     
    Yamandu Costa– 13 de dezembro (quarta), 20h
    Considerado referência mundial no violão de sete cordas, o instrumentista e compositor Yamandu Costa apresenta composições autorais já conhecidas do público, como El Negro Del Blanco (2004) e Choro Loco (2008). Sucesso internacional, Yamandu já dividiu o palco com orquestras renomadas, como a Orquestra Filarmônica de Calgary e com consagrados regentes, entre eles Kristjan Jarvi e Roberto Minkzuc.
     
    Erudito | 60 min. | Direção e roteiro: Yamandu Costa.
     
    Eder Giaretta e Josani Pimenta – 15 de dezembro (sexta), 20h
    No concerto Natal de Todos Nós, o pianista Eder Giaretta e a mezzosoprano Josani Pimenta apresentam um repertório de músicas natalinas, eruditas e tradicionais, que convidam o público a viajar por diferentes tempos, mundos e línguas. Entre os destaques do repertório estão The First Noel, Cantiga de Nossa Senhora e Cancioncilla de Navidad.
     
    Erudito | 60 min. | Voz: Josani Pimenta | Piano: Eder Giaretta | Flauta: Anselmo Pereira | Primeiro Violino: Eduardo Augusto | Segundo violino: Fernando Henrique Andrade | Viola: Janaina Almeida | Violoncelo: Tiago Almeida.
     
    Núcleo de Música do SESI-SP – 17 de dezembro (domingo), 12h (Indaiatuba) e 14h30 (Bauru)
    Em duas apresentações, os alunos do curso de iniciação instrumental do Núcleo de Música das cidades de Indaiatuba e Bauru trazem um repertório natalino para celebrar o fim de um ano de aprendizado musical. Com uma composição coletiva, no formato de uma camerata de cordas (viola, violino, violoncelo e contrabaixo), o grupo de 40 alunos, de 7 a 90 anos, ganham a chance de fazer sua primeira grande apresentação longe de casa.
     
    Erudito | 60 min.
     
    Coral USP – 17 de dezembro (domingo), 20h
    Figura carimbada da cena vocal paulistana, o Coral USP apresenta arranjos natalinos sob a regência da maestrina Marcia Hentschel. Composições como Jingle Bell Rock e O Pinheirinho de Natal não ficarão de fora do repertório. Fundado em 1967, o grupo já se apresentou nas principais salas de concerto do Estado, como a Sala São Paulo, o Auditório do MASP e o Theatro São Pedro.
     
    Erudito | 60 min. | Sopranos: Ana Maria Figueiredo, Raquel Neves, Cecilia Busato | Contraltos: Josefi na Capitani, Marcia Hentschel (Regente e Diretora Artística do CORAL USP) | Tenores: Munir Sabag, Ânderson Vieira, Marcelo Recski | Baixos: Claudio Rodrigues, Espártaco De Paola.
     
     
     
    Serviço: Série de Natal SESI-SP 2017
    Local: Teatro do SESI-SP (Avenida Paulista, 1313 – em frente à estação Trianon-Masp do Metrô)
    Capacidade: 456 lugares
    Entrada gratuita para toda programação em cartaz.
    Agendamentos de grupos e escolares: 3146-7439
    Informações e reservas antecipadas de ingressos: www.centroculturalfiesp.com.br
     
  • Musical NATAL MÁGICO, de Billy Bond leva aos palcos aventuras incríveis repletas de princesas e heróis
    Na versão 2017 do clássico Natal Mágico, o Papai Noel encontra super-heróis e personagens das histórias de Alice no País das Maravilhas e Rainha das Neves.
     
     
    No papel principal está Bia Jordão,
    que interpretou a personagem Júlia,
    na novela Cúmplices de um Resgate. 
     
     
    Trazendo toda a emoção da época mais encantadora do ano,
    Natal Mágico volta a São Paulo de 7 a 15 de dezembro,
    no Teatro Bradesco.
     
     
    A megaprodução está repleta de novidades e super-heróis que se juntam ao elenco para viver aventuras emocionantes. Além disso, o Papai Noel encontrará gnomos e personagens das histórias de Alice no País das Maravilhas e Rainha das Neves. Um número com acrobatas e atletas na cama elástica também promete agradar ao público.
     
    Para a família, o diretor concebeu, ainda, uma cena com trilha sonora da canção “Happy Xmas”, de John Lennon, interpretada por um pianista e bailarinos clássicos dançando “Pas de Deux”. O quadro em homenagem à cena de Cantando na Chuva, encenado em 2016, permanece como um dos destaques do musical e lança mão de tecnologia sofisticada capaz de criar chuva de verdade e drenar a água do palco em seguida.
     
    Com truques realizados por equipamento de última geração, o diretor Billy Bond traz para o Brasil o conceito dos tradicionais espetáculos de Natal realizados em Nova York e Londres. Importante encenador de musicais em atividade no país, o diretor italiano é também responsável por produções como O Mágico de Oz, Peter Pan, Branca de Neve, After de Luge, Rent, Les Miserables e O Beijo da Mulher Aranha, além de Cinderela, Branca de Neve, e Bela Adormecida entre outros Family shows, que levaram milhares de pessoas ao teatro nos últimos anos.
     
     
    ENREDO
    Ao som da Ave Maria, de Bach/Gounod (uma das composições mais famosas e gravadas em latim da Ave Maria), um anjo sobrevoa o presépio para anunciar a nascimento do Menino Jesus. Outros seis anjos cantam ao vivo, enquanto floquinhos de neve caem do céu. Em clima mágico, a luz desenha no ar os personagens e ajuda a encantar o espectador.
     
    Sobre uma base musical gravada, os cantos acontecem ao vivo. O espetáculo narra a saída do Papai Noel da Lapônia, em um trenó, para ir ao encontro de uma família no Brasil: a de Maria e João. A personagem de Maria será interpretada pela atriz Bia Jordão (que integrou o elenco da novela Cúmplices de um Resgate/ SBT) e estreou no espetáculo no ano passado.
     
    O bom velhinho ainda irá realizar os desejos de todos, os de Maria é conhecer as princesas de suas fábulas favoritas e, os de João, conhecer os super-heróis. A partir daí uma série de quadros musicais leva os pequenos ao mundo encantado de Alice, dos super-heróis, da Rainha das Neves, além da misteriosa Fábrica de Brinquedos do Papai Noel e da clássica dança dos Papais Noéis espelhados em um encantador presépio ao vivo.
     
    EFEITOS ESPECIAIS
    A montagem, com figurinos, cenários, máquinas e equipamentos multimídia, lota quatro carretas de 40 pés. Além disso, um painel de LED de altíssima definição, utilizado em grandes centros culturais de Nova York e Londres, é um dos recursos para compor o pano de fundo dessa época mágica e resgatar a esperança do Natal, junto com os principais personagens das histórias infantis.
     
    O espetáculo também tem projeções em 3D, uso de técnicas de ilusionismo e levitação, e movimentos de cenário controlados por computadores e uma iluminação diferenciada. Além de projeções, efeitos especiais, cheiros, neve e uso de técnicas de ilusionismo e levitação, há movimentos de cenário controlados por computadores. Dois projetores de última geração mapeiam e recortam desenhos e figuras no ar, criando um efeito mágico.
     
    “Nosso objetivo é dar um upgrade ao espetáculo teatral, mesclar cinema, teatro e show. Acho que o teatro merece essa renovação tecnológica. E é mais uma maneira de interagir com o público, principalmente com as crianças”, completa o diretor Billy Bond.
     
     
     
    SÃO PAULO
    7, 8, 9, 10, 14 e 15 de dezembro
    Quinta e sexta, 16h e 20h - Sábados, 11h30 e 15h - Domingo, 11h30, 15h e 19h
    Teatro Bradesco (Rua Palestra Itália, 500 / 3º piso – Bourbon Shopping São Paulo)
    www.teatrobradesco.com.br
    Classificação: Livre - Duração: 100min
    Capacidade: 1457 pessoas - Acesso para deficientes
     ATENÇÃO: Não será permitida a entrada após o início do espetáculo. 
     
    INGRESSOS:
     Valor: De R$50,00 a R$150,00 (Inteira)
    *Combo Família R$ 200,00: 4 ingressos na Plateia O a W - Limitado a 50 combos por sessão. Vendas somente na bilheteria.
    CANAIS DE VENDAS OFICIAIS: Site: www.teatrobradesco.com.br
    * Política de venda de ingressos com desconto: as compras poderão ser realizadas nos canais de vendas oficiais físicos, mediante apresentação de documentos que comprovem a condição de beneficiário. Nas compras realizadas pelo site e/ou call center, a comprovação deverá ser feita no ato da retirada do ingresso na bilheteria e no acesso à casa de espetáculo.
     
     
  • Cidade Negra - Girassol