Terça, 23 Janeiro 2018 | Login
Serão disponibilizadas 150 vagas, sendo 100 para o período da tarde e 50 para o período noturno
 
 
 
A Prefeitura de São Bernardo, recebe a partir da próxima segunda-feira (08/01) as inscrições para a Faculdade Aberta da Terceira Idade (Fati). Serão disponibilizadas 150 vagas, sendo 100 para o período da tarde e 50 para o período noturno. O curso é voltado para pessoas com mais de 50 anos e tem duração de dois anos para a turma da tarde e três anos para a turma da noite.
 
As matrículas devem ser feitas no Centro de Referência do Idoso (CRI), localizado a Avenida Redenção, 271, Jardim do Mar, entre os dias 8 de janeiro e 2 de fevereiro, de segunda a sexta-feira, das 9h às 17h. Para se inscrever é preciso levar três fotos 3x4, cópia do RG, CPF e comprovante de residência, juntamente com os respectivos originais. A taxa de matrícula é de R$ 105,00.
 
Os cursos terão início da primeira semana de fevereiro de 2018, na Faculdade de Direito de São Bernardo (FDSBC), no Jardim do Mar. As aulas da tarde acontecem às segundas, terças e quintas-feiras, das 13h30 às 17h. Já as turmas da noite têm aulas às segundas e quartas, das 19h15 às 22h. Entre as disciplinas oferecidas estão Dança de Salão, Nutrição, Psicologia, Atualidades, Português, Direito dos Idosos, Cidadania, História da Arte, dicas de condicionamento físico e noções básicas de Inglês e Espanhol.
 
 
O curso oferece atualização e não formação acadêmica. Neste ano, é preciso ter apenas escolaridade mínima. Não serão realizadas provas de seleção e ao final do curso os alunos recebem certificado.
 
*
 
 
Ao longo do ano a OSESP apresentará 112 concertos sinfônicos, incluíndo programas da série de assinaturas e concertos gratuitos, além de cinco concertos do Coro da Osesp, quatro programas do Quarteto Osesp e 11 recitais. Ao todo serão 134 apresentações na Sala São Paulo!
 
 
 
 
 
A Temporada Osesp 2018 – Natureza dos Sons
tem sua inspiração em dois dos mais importantes elementos
de formação da cultura brasileira: a natureza e a música.
 
 
Sobre a escolha desse tema, o Diretor Artístico da Osesp, Arthur Nestrovski, explica: “Poucas culturas têm riqueza natural como a nossa; e poucas também, semelhante patrimônio musical, com enorme variedade de gêneros e estilos. (...) É bem verdade, no entanto, que a música, tanto quanto a natureza, vem sendo ameaçada, de muitos modos, nesse período tão complexo. Cuidar da música, como cuidar da natureza, vai-se tornando, mais do que nunca, exercício de convicção: uma prática diária de persistência, em tempos de crise.”
 
Para a Osesp, esse “exercício de convicção” tem se realizado ao longo de toda a sua trajetória, há mais de 60 anos, e continua pela Temporada de concertos na Sala São Paulo em 2018, com 32 programas de assinatura e 134 concertos no total, sendo 112 sinfônicos, 15 de câmara e sete corais. 
 
Muitas são as iniciativas do Governo do Estado de São Paulo, por intermédio da Secretaria de Estado da Cultura, para a divulgação e ampliação de plateias da música clássica, com realização da Fundação Osesp. A começar pelos Concertos Matinais Gratuitos, que acontecem sempre aos domingos de manhã na Sala São Paulo, com apresentações da Osesp e de orquestras parceiras. Somam-se a estes os Concertos Digitais, transmitidos para  milhares de espectadores gratuitamente pela internet; os Ensaios Abertos da Osesp, com ingressos a preço reduzido (R$ 10); e ainda os projetos fonográficos, que incluem os lançamentos pelo Selo Digital Osesp, para audição e download gratuitos. 
 
Fundamentais, ainda, são os projetos educativos, como o Descubra a Orquestra, que recebe crianças e adolescentes de escolas públicas para concertos gratuitos na Sala São Paulo; e a Academia de Música da Osesp, que investe na formação e na profissionalização de jovens músicos de orquestra e coro.
 
Nessa Temporada, atendendo ao objetivo de contribuir, ainda mais, para o fácil acesso à música clássica, uma nova ação foi criada: a Fundação Osesp oferecerá em todos os programas uma grande quantidade de ingressos ao preço do Vale Cultura (R$ 50), ao longo de todo o ano, tanto no setor do Coro como no setor superior; e ainda programou a série especial Grandes Clássicos, com quatro concertos regidos por Isaac Karabtchevsky, com preço único de R$ 50 (por apresentação), em todos os lugares da Sala.
 
Falando ainda sobre a preocupação constante com o acesso do seu público à sala de concertos, junto ao anúncio recente de renovação da Praça Júlio Prestes pelo Governo do Estado, a Fundação traz uma novidade importante para a próxima Temporada. A partir de 2018, os concertos noturnos terão início às 20h30, às quintas e sextas-feiras; e os concertos de câmara, aos domingos, terão início às 19h. Já os concertos de sábado à tarde permanecem no horário das 16h30.
  
 
 
 
DESTAQUES DA TEMPORADA
 
Em 2018, a Série Sinfônica da Osesp terá 112 concertos – sendo 12 deles gratuitos –, além das séries de câmara e do Coro. Duas séries inteiramente gratuitas são destaque da programação: o festival Viva Villa! (em fevereiro, antes da abertura oficial da Temporada), com seis concertos seguidos, três destes sob a batuta de Isaac Karabtchevsky, celebrando o término das gravações da integral das 11 Sinfonias de Villa-Lobos; e a Maratona Mozart (em outubro), com cinco concertos regidos por Neil Thomson, com sinfonias do celebrado compositor austríaco, e tendo como solistas os ganhadores do Concurso Jovens Solistas da Osesp.
 
Outros destaques são as sequências integradas de concertos que acontecem ao longo de toda a Temporada 2018, a começar pela série integral das Sinfonias de Beethoven, regidas por Marin Alsop (Diretora Musical e Regente Titular da Osesp), Valentina Peleggi (Regente em Residência da Osesp) e mais sete maestros convidados, entre eles Nathalie Stutzmann (Artista Associada 2016-18), Louis Langrée e Arvo Volmer; e as séries especiais Rossini – 150 Anos de Morte e Stravinsky Essencial (incluindo os três grandes balés modernistas do autor).
 
O Artista em Residência será o flautista franco-suíço Emmanuel Pahud e o Compositor Visitante, o francês Philippe Manoury. O Músico Homenageado será Marcos Thadeu, preparador vocal do Coro da Osesp e Regente Titular do Coro Acadêmico. 
 
Entre os solistas internacionais, a Osesp recebe muitos pianistas – Nikolay Luganski, Gabriela Montero, Steven Osborne, Pierre-Laurent Aimard, Tamara Stefanovich, Igor Levit e Roger Muraro –; além dos violinistas Pekka Kuusisto e Ning Feng; o violista Antoine Tamestit; e o trombonista Christian Lindberg (também como regente). Entre os solistas brasileiros, destaque para os pianistas Fabio Martino, Jean-Louis Steuerman, Lucas Thomazinho e Marcelo Bratke. Destaque ainda para o festival Piano Brasileiro, com concertos do Duo Gisbranco, Leandro Braga e Cristóvão Bastos, e André Mehmari.
 
Entre as obras inéditas está a estreia latino-americana de um concerto do compositor português Vasco Mendonça, pela parceria com a Fundação Gulbenkian de Lisboa, além da estreia mundial de três peças especialmente encomendadas aos compositores Ronaldo Miranda (que comemora 70 anos), Aylton Escobar e Caio Facó.
 
 
A programação completa já está disponível no site da Osesp e a versão digital para download do livro da Temporada será disponibilizada em breve.   [http://www.osesp.art.br/paginadinamica.aspx?pagina=temporadaosesp].
 
 
Pela primeira vez em turnê solo no Brasil, as apresentações acontecem em fevereiro no Rio de Janeiro (dia 22, no Maracanã), São Paulo (dias 24 e 25, no Allianz Parque) e Porto Alegre (dia 27, no Beira Rio)
 
 
Um dos maiores músicos britânicos de todos os tempos está de volta, retornando ao palco nas primeiras apresentações ao vivo em 10 anos.
 
 
Em fevereiro de 2018, Phil Collins realizará uma turnê de um mês pela América Latina, incluindo visitas ao Brasil, México, Peru, Chile, Uruguai, Argentina e Porto Rico. O cantor e compositor terá ainda como convidada especial a banda anglo-americana PRETENDERS, que se apresenta nos shows da turnê, incluindo Rio de Janeiro, São Paulo e Porto Alegre.
 
 
Um dos artistas mais bem sucedidos de sua geração, com mais singles no topo das paradas britânicas do que qualquer outro artista da década de 80, Phil Collins chegou ao estrelato primeiramente como baterista e, em seguida, como líder do Genesis, fazendo sua estreia solo com o álbum Face Value, de 1981, que trouxe o mundialmente famoso  hit “In The Air Tonight”.
 
 
The Legendary Phil Collins LIVE – Brasil
22 Fevereiro 2018 – Rio de Janeiro, Brasil – Maracanã
24 Fevereiro 2018 – São Paulo, Brasil – Allianz Parque
25 Fevereiro 2018 – São Paulo, Brasil – Allianz Parque
27 Fevereiro 2018 – Porto Alegre, Brasil – Beira Rio
 
Os ingressos já estão à venda  em www.eventim.com.br
 
 
PROMOTOR
Move Concerts e Live Nation Entertainment
 
 
 

 

Exposição do projeto LENTES INCLUSIVAS
 
 
 
 
APAE de São Paulo apresenta exposição do projeto LENTES INCLUSIVAS
 
Evento gratuito acontece de 17 a 23 de janeiro, na sede da Organização
 
 
 
O projeto Lentes Inclusivas, idealizado pela fotógrafa Laudiane Lira, tem como objetivo contar histórias de vida de crianças e jovens com deficiência por meio da fotografia, reforçando a importância da inclusão. "A iniciativa busca mostrar que as pessoas precisam enxergar o outro como igual, cada um com suas diferenças", explica a fotógrafa.
 
Laudiane realizou ensaios de pessoas com Deficiência Intelectual na APAE DE SÃO PAULO, em 2017, e agora as fotografias serão expostas na sede da Organização (rua Loefgren, 2.109 – Vila Clementino) em 17, 18, 19, 22 e 23 de janeiro, das 8h às 17h. A entrada é gratuita.
 
 
 
Serviço: Exposição Lentes Inclusivas 
Data: 17, 18, 19, 22 e 23 de janeiro
Horário: das 8h às 17h
Local: APAE DE SÃO PAULO (rua Loefgren, 2.109 – Vila Clementino)
 
 
Sobre a APAE DE SÃO PAULO
 
A APAE DE SÃO PAULO é uma Organização da Sociedade Civil, sem fins lucrativos, que há 56 anos, promove o diagnóstico, a prevenção e a inclusão da pessoa com Deficiência Intelectual, produzindo e difundindo conhecimento. Atua desde o nascimento ao processo de envelhecimento, propiciando o desenvolvimento de habilidades e potencialidades que favoreçam a escolaridade e o emprego apoiado, além de oferecer assessoria jurídica às famílias acerca dos direitos das pessoas com Deficiência Intelectual. Pioneiro no Teste do Pezinho no Brasil e credenciado pelo Ministério da Saúde como Serviço de Referência em Triagem Neonatal, o Laboratório APAE DE SÃO PAULO é o maior da América Latina em exames realizados. Por meio do Instituto APAE DE SÃO PAULO, a Organização gera e dissemina conhecimento científico sobre Deficiência Intelectual com pesquisas e cursos de formação. Para colaborar, os interessados podem ligar para: 11-5080-7000, acessar www.apaesp.org.br ou enviar e-mail para Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..
 
 
 

 
 
 
*******
 
 
As peças ganhadoras e selecionadas pelo júri ficarão expostas a partir de 11 de novembro, sábado, das 10h às 18h, com entrada gratuita. No dia acontecerá também feira de livros especializada, encontro com a comissão julgadora e oficinas educativas
 
 31º Prêmio Design MCB, mais tradicional e prestigiada premiação do segmento do país, realizada desde 1986, inaugura a exposição com as peças ganhadoras e selecionadas pelo júri em 2017 no Museu da Casa Brasileira (MCB). A abertura será em novo formato e não haverá cerimônia de premiação, mas contará com feira de livros especializada em arquitetura e design, oficinas e foodtrucks, além de encontro com a comissão julgadora e os vencedores.
 
O Prêmio Design MCB é reconhecido em todo o Brasil por ser um celeiro de talentos e consagração de profissionais. O propósito da premiação é dar anualmente um panorama da produção brasileira em categorias que abrangem o design de produtos e a trabalhos escritos, acadêmicos e editorial ligados ao mercado.
 
Este ano, o Prêmio Design recebeu 587 trabalhos, que foram julgados por duas comissões independentes. Sob coordenação de Marcelo Oliveira, doutor em Arquitetura e Urbanismo, foram analisadas as categorias de produto: Construção, Transporte, Eletroeletrônicos, Iluminação, Mobiliário, Têxteis e Utensílios. Já a categoria de Trabalhos Escritos foi coordenada por Cibele Taralli, doutora em Estruturas Ambientais Urbanas e Milene Soares Cara, doutora em Arquitetura e Urbanismo.
 
Confira a programação de abertura da exposição:
 
- 10h às 18h – Visitação à exposição 31º Prêmio Design MCB
Estarão na mostra os 54 produtos e publicações premiados, divididos entre 1º, 2º, 3º lugares e menções honrosas, além das 48 peças selecionadas pelo júri.
 
- 10h às 18h – Feira de livros especializada
Durante a abertura da exposição do 31º Prêmio Design MCB, editoras focadas em design e arquitetura disponibilizarão suas publicações com descontos: Participam: Romano Guerra, Olhares, Gustavo Gili, estação das letras e Cores, Edições SESC, Ubu, Senac, Blucher, Monolito, Revista Projeto e Revista L+D.
 
- 10h30 às 12h – Oficina de Serigrafia – Educativo MCB
A artista Monica Schoenacker oferecerá noções básicas de serigrafia e, enquanto isso, o participante poderá estampar uma peça em um pano de prato para levar para casa. 
 
- 11h - Encontro da comissão julgadora e vencedores
Pode-se dizer que o tradicional encontro entre os jurados e os vencedores de cada edição é o momento ápice da abertura do Prêmio Design.
 
- 14h às 15h30 - Oficina de Papercut – Fedrigoni
A artista autodidata Ariádine irá ensinar um pouco do que aprendeu durante uma viagem de três anos pela Europa, com colagens e minuciosos recortes em papel – os chamados kiriês, uma técnica oriental originária da China, que consiste em formar figuras e desenhos em papéis com a ajuda do corte do estilete.
 
- 15h às 16h30 – Oficina Inutensílios – Educativo MCB
A atividade será inspirada no poema de Manoel de Barros, 'O Fazedor de Amanhecer', e tem como objetivo central a construção de novos objetos e utensílios para o dia a dia, feitos a partir de sucatas ou materiais que não são mais utilizados.
 
- 16h às 17h30 – Oficina de Encadernação – Fedrigoni
Os ministrantes Estela Vilela e Bruna Ximenes mostrarão como é feita a encadernação, que surgiu quando o comércio de livros no Japão se estabeleceu. A costura, que tem o nome original de Yamato Toji, é feita pelo dorso dos cadernos, sem uso de cola.
 
- 10h às 18h – Foodtrucks
Lanches, comidas vegetarianas, drinkes, doces e açaís. Confirmadas as participações de +55 FoodTruck Brasil, Dica Natureba, Choco Frut e Cubq.
 
 
 
Sobre o Prêmio Design MCB
O Prêmio Design MCB é realizado desde 1986 pelo Museu da Casa Brasileira. A premiação - a mais tradicional e prestigiada do segmento no país - revela talentos e consagra profissionais e empresas. O Prêmio é dividido em dois momentos principais: o Concurso do Cartaz e, em seguida, a premiação dos produtos e trabalhos escritos. Entre junho e agosto, o MCB recebe criações (protótipos ou em produção) nas categorias: Construção, Transporte, Eletroeletrônicos, Iluminação, Mobiliário, Têxteis, Utensílios e Trabalhos Escritos. Os trabalhos são analisados por duas comissões julgadoras independentes, uma para as categorias de produto e outra para trabalhos teóricos. Por fim, são escolhidos os premiados, divididos entre 1º, 2º e 3º lugares e menções honrosas, além dos selecionados que também compõe a exposição. Como resultado do Prêmio Design MCB, o Museu realiza uma mostra com os vencedores e selecionados de cada categoria da edição, que fica em cartaz por cerca de dois meses. 
 
 
SERVIÇO: Abertura do 31º Prêmio Design MCB
De 11 de novembro – entrada gratuita
Sábado, das 10h às 18h
Local: Museu da Casa Brasileira
Av. Faria Lima, 2.705 – Jd. Paulistano / SP
Tel.: (11) 3032.3727
Visitação: até 21de janeiro de 2018
 
TAME IMPALA 
 
Banda australiana de rock psicodélico formada em Perth no ano de 2007; tendo como líder o multi-instrumentista Kevin Parker, que é responsável pelas gravações de estúdio. 
 
A banda ao vivo é composta por Kevin Parker (guitarra e vocais), Dominic Simper (guitarra e teclado/sintetizador), Nick Allbrook (baixo), que deixou a banda em 2013 e foi substituído por Cam Avery, Jay Watson (teclado/sintetizador e vocais de apoio) e Julien Barbagallo (bateria e vocais de apoio). 
 
Seu nome faz referência ao animal impala. 
 
Music video by Tame Impala performing 'Cause I'm A Man. (C) 2015 Modular Recordings

ARI BORGER
 
    Mestre em piano blues, boogie woogie e hammond B3,
foi o pioneiro em seus instrumentos e continua sendo o mais
importante pianista e organista de blues em nosso país.
 
   Borger atinge algo muito difícil em sua música, soar verdadeiro e autêntico, improvisando sem “decorar” suas linhas melódicas, doce em alguns momentos, incendiário em outros.
 
As apresentações e parcerias são históricas e extensas.
 
    Abriu shows para artistas como B.B.King e tocou com verdadeiras lendas do piano blues como os mestres Johnnie Johnson e Pinetop Perkins – pianistas de Chuck Berry e Mudy Waters. Morou em New Orleans, aonde gravou seu primeiro disco e se apresentou nas mais renomadas casas de shows como Tipitina’s e House of Blues.
    Seus discos já figuraram no TOP 10 da Real Blues Magazine, uma das mais importantes publicações do gênero.
    Excursionou com seu grupo pela Europa, tocando em grandes festivais de jazz e blues.
    No Brasil, é requisitado nos mais importantes festivais desde 1995, além de participar de programas de televisão e rádio, como Programa do Jô, Metrópolis, CBN e Band News.
    Acompanhou e gravou com estrelas nacionais e internacionais, como Herbert Vianna, Rod Piazza, Jr Watson, Linwood Slim, Mud Morganfield Jr – filho de Muddy Waters, Sax Gordon, Mitch Kaschmar, Sugaray Rayford e Diunna Greenleaf, estes últimos ganhadores do Grammy Music Awards.
    Já gravou seis discos ao longo de mais de vinte anos de carreira, alternando entre o blues tradicional, boogie woogie, soul e o jazz, recebendo elogios dos veículos de mídia mais respeitados do Brasil e do exterior como Caderno 2(Estado de São Paulo), Revistas Veja, Bravo, Rolling Stone, Real Blues(U.S.A.) e Blues Revue (maior revista de blues mundial).
   Teve a honra de ser um dos headlines por duas vezes do maior festival de piano blues e boogie woogie do mundo o “Cincy Blues Fest” em Cincinnatti no “Hall of Fame Boogie Woogie Stage” ao lado das maiores estrelas do gênero, feito inédito para um artista não americano.
   Agora em 2015, Borger lança “Live At Cincy Blues Fest”,em um box, com CD e DVD. O trabalho foi gravado ao vivo em um único set, com convidados super especiais como Bob Seeley, Johny Vidacovich e Wallace Colleman entre outros.
 
 
 

 

Cantor ficou conhecido mundialmente ao ganhar Oscar por música do filme Diários de Motocicleta. Ingressos para os dois primeiros dias esgotaram-se com cinco meses de antecedência.
 
 
 
Devido à intensa procura por ingressos para os dois shows de Jorge Drexler que acontecem em abril de 2018, a Casa Natura Musical abre vendas para um show extra. Todos os ingressos para os dias 13 e 14 de abril de 2018 estão esgotados, cinco meses antes dos shows. Agora, é possível comprar ingressos para uma terceira apresentação, domingo, 15 de abril de 2018, na bilheteria da Casa (sem taxa de conveniência) ou pela Eventim. As vendas estão abertas dias 12, 13 e 14 de dezembro para cartões Amex e a partir do dia 15 de dezembro para todos os demais cartões e formas de pagamento. 
 
Os shows fazem parte da turnê mundial de lançamento do novo disco Salvavidas de hielo, que vai passar por Espanha, Portugal, Estados Unidos e toda América Latina. Drexler mergulhou no universo do seu violão para compor, e depois gravar, na cidade do México, este seu mais novo disco, unicamente com violões, tocados tanto de modo tradicional como de formas alternativas. Por exemplo, todas as percussões que acompanham as músicas também foram tocadas em violões. As duas primeiras músicas do disco, Telefonía e Silêncio, já foram apresentadas pelo artista através de transmissões ao vivo nas suas redes sociais e com muitíssimo êxito.
 
Em 2012, seu disco Bailar en la cueva contou com a participação de Caetano Veloso, na música Bolivia. Muitos artistas mundo afora gravaram suas músicas, como Shakira, Omara Portuondo, Ana Belén, Mercedes Sosa, Víctor Manuel, Neneh Cherry, Pablo Milanés, Ketama, Miguel Ríos, Ana Torroja, Sole Giménez, David Broza, Rosario, Jovanotti, María Rita, Simone, Zelia Duncan, Paulinho Moska, Jaime Roos, Adriana Varela e Bajofondo.
 
A carreira do Drexler como músico começou em 1989, quando começou a escrever canções. Três anos depois, em 1992, lançou seu primeiro disco, La luz que sabe robar, mesmo ano em que se formou como médico na Universidade da República Oriental do Uruguai.  O seu segundo trabalho, Radar (1994) veio para fechar sua primeira etapa no Uruguai, antes de atravessar o Atlântico para a Espanha, onde gravou seu terceiro álbum Vaivén (1996) e decidiu se estabelecer definitivamente. Sua carreira conta com mais de dez discos originais, além de várias reedições, coletâneas e discos ao vivo.
 
Em 2005, Drexler ficou conhecido mundialmente ao ser premiado com o Oscar de melhor canção original pela música Al otro del río, do filme Diários de Motocicleta. Nos últimos anos, foi nomeado por três vezes consecutivas ao Grammy Awards, quatro vezes consecutivas aos Grammy Latin Awards e duas vezes ao Prêmio da Música Espanhola., com suas músicas sendo incluídas nas trilhas de inúmeros filmes.
 
 
 
SERVIÇO: Jorge Drexler - Shows da turnê mundial Salvavidas de hielo
Quando: sexta, 13, e sábado, 14 de abril de 2018, às 22h (esgotados), com abertura da Casa às 20h30
Show extra: domingo, 15 de abril de 2018, às 20h30, com abertura da Casa às 19h
Ingressos:
Dias 12, 13 e 14 de dezembro: vendas exclusivas para cartões Amex
Dia 15 de dezembro: vendas para demais cartões de crédito e outras formas de pagamento
Meia-entrada para todos os setores
Plateia: R$ 300 (setor 1, lote 1), R$ 340 (setor 1, lote 2), R$ 240 (setor 2, lote 1) e R$ 280 (setor 2, lote 2)
Bistrô inferior: R$ 120
Bistrô superior: R$ 280
Camarote: R$ 340
Lotação para este show: 480 lugares
Classificação etária: 12 anos (menor de 12 acompanhado pelos pais ou responsáveis)
 
Casa Natura Musical
Rua Artur de Azevedo, 2134, Pinheiros, São Paulo
Ingressos sem taxa de conveniência na bilheteria da Casa
Horário da bilheteria: todos os dias, das 12h às 20h (dinheiro, CC e cartão de débito)
Vendas de ingressos: Eventim
SAC Eventim: 4003-6860, das 11h às 17h, de segunda a sexta-feira
Vendas para pessoas com deficiência: 4003-6860
 
 
#
 
 
 
 

 
Peça de Laurence Dauphinais e Maxime Carbonneau, com tradução de Letícia Tórgo transforma aplicativo do iPhone em personagem e questiona relação entre homem e tecnologia.
 
 
 
 
Uma atriz e uma máquina de inteligência artificial como protagonistas. Assim começa uma investigação sobre a relação entre o homem e a sua criação. Em um tempo em que pensadores questionam a necessidade do corpo para ser humano, quem é o verdadeiro programador? 
 
Inédito no Brasil, o espetáculo canadense SIRI visa transformar esta grande caixa que é o teatro utilizando-se apenas das ferramentas que a pequena caixa do iPhone pode oferecer. No palco, a atriz Laurence Dauphinais interage em tempo real com o aplicativo da Apple, gerando um diálogo inédito a cada dia. 
 
Falado na língua francesa, com trechos em português e inglês, o espetáculo terá legendas simultâneas em português em todas as apresentações e, em uma sessão especial, no dia 3 de dezembro, um intérprete de libras para surdos e recursos de audiodescrição para cegos, com a presença de ONGs convidadas.
 
Em 2010, a Apple criou o assistente pessoal SIRI que decifra instruções verbais de seus usuários e atende às suas solicitações de forma imediata e bastante “humana”. O site da Apple explica: “Fale com ela com uma voz natural. SIRI não só entende o que você diz, mas também o que você quer dizer, e te responde. Fale com ela como uma pessoa real." 
 
Preocupada com os temas da intimidade, corpo, memória e sede de espiritualidade, Laurence Dauphinais visa explorar, neste trabalho, a relação entre o aplicativo SIRI e seres humanos. Com SIRI, ela quer questionar o que os olhos de outras pessoas forjam e revelam para nós, sobretudo quando se trata de um olhar digital criado por seres humanos. SIRI não é apenas um programa para cumprir tarefas pessoais como um assistente ou um guia GPS. Ela foi criada para manter conversas com humor e naturalidade. Como uma pessoa real.
 
“Nossa intenção aqui é aprofundar uma investigação por conta de todas as mudanças de paradigmas pelas quais estamos passando em nossas relações. Esses organismos digitais estão se tornando cada vez mais autônomos e humanos em nosso dia-a-dia. Em um contexto dramatúrgico, tentamos desvendar os limites da linguagem de SIRI, suas restrições de programação e falhas retóricas na estrutura binária de pergunta e resposta a partir de onde pode surgir, inclusive, poesia. SIRI é programada para dar versões diferentes de respostas à uma mesma pergunta. Como não tem memória, o objeto teatral é construído através da insistência e repetição. Nosso desafio, a partir desta retórica incomum de linguagem, desta busca por respostas, é conhecer suas estratégias para avançar com a história no palco, ao vivo”, explica a atriz.    
 
Os jovens autores Laurence Dauphinais e Maxime Carbonneau são apaixonados por novas tecnologias. Em 2013 outro espetáculo sobre o tema, o IShow recebeu os prêmios de Melhor espetáculo pela Associação dos críticos de Quebec e o prêmio Buddies in Bad Time Vanguard de risco e inovação, no Summerwork Festival, de Toronto. Em 2015, um esboço do espetáculo SIRI foi apresentado no  OFFTA  (festival paralelo ao Festival TransAmériques) em Montreal, Canadá. No formato de um TED TALK, Laurence levantou paradigmas causados pelas novas tecnologias em nossa comunicação e relações humanas. Ela apresentou ao público SIRI, questionando a estreita relação que temos com a tecnologia. SIRI, por sua vez, assumiu o papel de um segundo personagem principal, com igualdade de voz ao lado de Laurence. A partir daí, Laurence e SIRI dividiram a cena face aos espectadores com a mesma força e presença. SIRI provou ser uma musa, um obstáculo, uma co-autora e uma artista de atuação imprevisível.
Ainda em 2015, o formato atual foi apresentado no Festival TransAmeriques (maior festival de teatro e dança contemporâneos da América do Norte). Desde então, tem ido representado em diversos teatros de Montréal e, este ano, fez parte do Festival Fringe de Edimburgo, na Escócia, onde foi sucesso de público e crítica.
 
No Brasil, SIRI fica em cartaz até dia 17 de dezembro. Serão realizadas 16 apresentações com aproximadamente 120 minutos de duração, de quinta a domingo, às 20h. 
 
 
 
Sobre o espetáculo:
 
Desde o lançamento do iPhone 6S, o software SIRI ouve o que dizemos, em todos os momentos, sempre como uma amiga. SIRI pretende, como um Deus onisciente, ter todas as respostas para nossas perguntas. Mas sua programação está repleta de lacunas, limites e buracos. Este espetáculo vista beber na fonte destas falhas de programação para dar inspiração a Laurence Dauphinais e criar um espetáculo teatral.
 
Por que nós temos esta necessidade de criar uma entidade que está programada para ter a personalidade e traços humanos sem ser verdadeiramente real? Será que inventamos SIRI para sermos visto? Nós criamos uma entidade que "sabe tudo" objetivamente. SIRI tem acesso à nossa privacidade e também ao conhecimento universal através da internet.
 
Este projeto visa investigar a relação entre o homem e a criação do homem. Quem é o verdadeiro programador? Laurence ou SIRI? Afinal de contas, não somos nós mesmos "programados" pelo homem através do prisma da cultura e da educação? É realmente necessário ter um corpo físico para ser humano? E que tipo de corpo? Vivemos um momento onde os maiores pensadores acreditam que não é mais necessário ter um corpo para ser humano. Ray Kurzweil, diretor de engenharia do Google, por exemplo, pesquisa meios para fazer o download da memória de um indivíduo em um robô, avatar ou outro corpo. Isto não é ficção científica! É real!
 
Se desaparecermos da face da Terra e SIRI se tornar nosso arquivo original: o que ela irá revelar sobre nós mesmos?
 
Sobre Laurence Dauphinais:
Atriz, diretora, escritora e cantora. Quando criança, trabalhou em vários projetos de cinema e TV até entrar na Escola Nacional de Teatro do Canadá. Lá, iniciou seu trabalho de criação teatral. Desde 2014 tem atuado em 2 produções teatrais ousadas: Cinq visages pour Camille Brunelle como atriz e ishow como co-diretora e performer com turnês pela Europa até 2017. Seu novo projeto, como co-autora, escritora e performer, "SIRI", é uma performance solo original, apresentada no OFFTA em Montreal em 2015, no Le Cabaret des Curiosités (França) e estará no FTA de Montreal em 2016 e no Théâtre d'aujourd'hui em 2017. Em 2015 lançou o primeiro EP do seu projeto solo electro musical La Dauphine, que toca regularmente nas rádios. Seu interesse é a junção entre ciência, arte e tecnologia, trabalhando com engenheiros, programadores e outros artistas para desenvolver uma ferramenta audiovisual sincronizada com a emoção humana através de sinais fisiológicos do corpo. Fala Francês, Inglês e Português.
 
FICHA TÉCNICA
Um espetáculo de: La Messe Basse
Produção Brasil: da Gaveta Produções
 
EQUIPE CANADÁ
Texto : Maxime Carbonneau + Laurence Dauphinais + Siri
Direção : Maxime Carbonneau
Interpretação : Laurence Dauphinais + Siri
Assistente de direção e direção de produção : Jérémie Boucher
Cenografia e Figurino : Geneviève Lizotte
Iluminação : Julie Basse
Trilha Sonora : Olivier Girouard
Fotografias : Hugo B. Lefort e Julie Artacho
Conselho dramaturgico : Dany Boudreault + Tiphaine Raffier
 
EQUIPE BRASIL
Direção de Produção: Letícia Tórgo
Produção Executiva: Kamilla Barcellos
 
 
SERVIÇO “SIRI”:
Local: Oi Futuro 
Estreia: 23 de novembro de 2017
Temporada: Até 17 de dezembro
Horário: De quinta a domingo, às 20h
Endereço: R. Dois de Dezembro, 63 – Flamengo / RJ
Duração: 70 minutos.
Ingressos: R$ 30,00 (inteira), R$ 15,00 (meia-entrada e estudantes da Aliança Francesa, mediante apresentação da última mensalidade quitada) 
Tel. Bilheteria: 21 3131-3060
Vendas Online: ticketplanet.com.br ou pelo telefone 2576-0300 (a partir do dia 21/11)
Classificação etária: livre. - Gênero: Drama
 
 
 

 

O show desembarca em São Paulo no dia 1 de março no Tom Brasil para uma temporada de quatro semanas, num total de 16 apresentações, seguindo depois em viagem por algumas das principais capitais do país.
 
 
Ausente dos palcos desde 2012, Chico Buarque inicia em dezembro a turnê nacional de Caravanas, título homônimo do álbum lançado em agosto pela Biscoito Finoe apontado pela crítica especializada como um dos melhores da carreira do artista. 
 
 
Compositor, intérprete, dramaturgo e escritor, Chico Buarque é referência obrigatória em qualquer citação à cultura brasileira a partir dos anos 1960. Conforme bem observou o jornalista Fernando Barros e Silva em seu ensaio sobre o artista, “nenhum outro compositor ou escritor contemporâneo resume como Chico Buarque a trajetória do Brasil, de 1964 até hoje.
 
Sua obra não apenas registra e comenta nossa história, mas a revela sob ângulos insuspeitados, amarrando e comunicando a experiência coletiva às verdades mais íntimas de cada um de nós”. Uma obra que produziu e continua produzindo encantamento através de gerações.
 
 
 
 
SERVIÇO:
Quando: Teporada de 1 de março à 1 de abril de 2018 
Quinta e Sexta às 22h00, Sábado às 21h30, Domingo às 18h30
Onde: Tom Brasil - Rua Bragança Paulista, 1281 / SP
 
CLASSIFICAÇÃO: 14 anos - Menores de 14 anos somente acompanhados dos pais ou responsável legal.
 
INGRESSOS: De R$200,00 à R$490,00 
VENDAS: 
BILHETERIA TOM BRASIL - Rua Bragança Paulista, 1281 – Chácara Santo Antônio – São Paulo (SP) Atendimento de segunda a sábado das 10h às 20h; domingo e feriado das 10h às 18h.
Página 1 de 2